A Melhor Escolha

(Esaú e Jacó)

(Gênesis 27).

Esaú tinha tudo, era herdeiro natural das bênçãos de seu pai, por conseguinte, das bênçãos de Deus; porém, desprezou o direito que era seu, escolheu um manjar, um prato de lentilhas, trocando-o pelas bênçãos eternas.

Jacó, sabia o valor da primogenitura, e propôs a seu irmão a troca, por um guisado de lentilhas, o que lhe valeu a bênção maior.

Outras escolhas, a Bíblia nos revela:

Sansão, escolheu o caminho das paixões carnais, em troca do poder de Deus na sua vida; era uma homem escolhido por Deus, para julgar o seu povo, e para destruir os inimigos de Israel. Conquistou muitas vitórias, provou bastante do poder de Deus na sua vida, porém, no tempo em que devia consolidar-se como um grande homem de Deus, deixou-se iludir por uma mulher, que não queria o seu bem, e sim, o seu mal, pois era amiga dos filisteus, portanto, inimiga de Israel.

Essa escolha de Sansão lhe custou muito caro! Custou-lhe os olhos, a honra, a própria vida:

Salomão, grande rei de Israel, o mais sábio dos homens, sobre a terra, exceto o Senhor Jesus, também tinha tudo para consolidar-se como o maior rei de Israel, no entanto, trocou esta honra, trocou o amor de Deus, pelo amor das mulheres, que lhe perverteram o coração, fazendo-o edificar altares aos deuses pagãos, e por fim, teve o seu reino dividido.

Sem dúvida, temos nas Escrituras, muitas escolhas desastrosas, mas temos também, muitas escolhas abençoadas, como:

Abraão, que deixou a sua terra, a sua parentela, na terra de Ur dos caldeus, para peregrinar em terra estranha, vendo pela fé, a "Terra Prometida", tornando-se "pai da nação abençoada, e donde procedeu o Salvador do mundo; Moisés, que escolheu sofrer com o povo de Deus, do que ser príncipe, e até tornar-se herdeiro do trono de Faraó, porque esperava, pela fé, o reino celeste;

José, no Egito, que preferiu sofrer uma prisão de dez anos, para não ceder à tentação, sendo, depois, recompensado maravilhosamente por Deus, quando deixou a prisão para ser governador do Egito; saiu do estado de humilhação, para o estado de glória; Rute, a mulher decidida, que preferiu, com Noemi, seguir o difícil caminho da fé, adotando o povo de Deus como o seu povo, do que retornar à sua terra, e receber as honras terrenas; a recompensa de Deus foi maravilhosa para essa jovem mulher: ganhou lugar de destaque entre o povo de Deus, tornando-se avó de Davi, de quem procedeu o Messias; Daniel e seus companheiros, que escolheram alimentar-se de vegetais, para não se contaminarem com a comida real de Babilônia; preferiram confiar na Palavra de Deus, e alimentar-se do prato sadio e aprovado por Deus para as suas vidas, do que provarem do "prato do mundo"; o apóstolo Paulo, que escolheu negar-se a si mesmo, tomar a cruz do sofrimento pela causa do Evangelho, do que desfrutar dos privilégios que a sociedade do judaísmo nobre lhe reservava; preferiu começar do zero, na sabedoria de Deus, considerando como esterco, tudo o que sabia, para receber um prêmio que é do céu.

Certamente, a melhor escolha pode não parecer a que mais satisfaz o nosso ego, porém, aquela que parecer mais difícil, mais espinhosa, Deus fará com que essa escolha difícil, árdua, se transforme em bênçãos para as nossas vidas.

"É melhor obedecer a Deus, pois

Na obediência está a bênção".

Pr. Artur Gabriel

Clique aqui para imprimir
Voltar ao Menu!